EducaPX SitePX AWS Contraste Aumentar/Diminuir a fonte

6D- Professoras Luciana e Rosana

MASSINHA CASEIRA

Publicado em 25/09/2018 às 14h09

A receita de massinha caseira, muita diversão

 

Comentários (0) e Compartilhar

Vivências 1º semestre- 6D

Publicado em 06/07/2018 às 14h48

         

          A Turma 6D é composta por 30 crianças, sendo 21 meninos e 9 meninas. Todas gostam do ambiente escolar, principalmente do parque, onde desenvolvem relações afetivas de amizade e vivenciam experiências significativas para suas idades.

          O período de adaptação da turma não apresentou muita dificuldade, visto que algumas crianças já se conheciam por terem estudado o ano de 2017 na mesma sala. Os espaços da EMEI e seus projetos já não são novidade, o que facilitou a adaptação das novas rotinas.

          Nas primeiras semanas realizamos um trabalho muito importante para o  aprendizado das crianças referente à escovação dos dentes e cuidados pessoais, tais como lavar as mãos antes das refeições, lavar e limpar o rosto, usar o banheiro e se limpar, trocar as roupas quando sujar, entre outros cuidados. Trabalhamos com vídeos, rodas de conversas e vivências, para que desenvolvam esses hábitos, se apropriem e o façam com autonomia. Em março e em maio recebemos a vista das dentistas da UBS Jardim Souza para triagem e encaminhamento das crianças com problemas na dentição. 

          Outra atividade desenvolvida foi construir juntos os combinados para incentivar o convívio e promover a autonomia gradativamente, o que aconteceu, assistindo vídeos educativos, fazendo várias rodas de conversas e através de jogos cooperativos.

          Em sala de aula, para as atividades de registro sempre estão em grupos de 4 ou 6  e  o tempo de concentração  é curto. Na hora da leitura poucos tem paciência em escutar, e se dispersam com facilidade. Diante disso, temos planejado formas diferentes de contar histórias como contação de histórias com fantoches, livros de escolha das próprias crianças, histórias em áudio, histórias cantadas.

          Durante as rodas de conversa todos querem dar suas opiniões, estão aprendendo a ouvir os colegas e esperar sua vez de falar. Eles têm demonstrado bastante interesse pelas letras, já assinam suas produções, muitos já escrevem o primeiro nome sem o auxílio do crachá.

No projeto Alimentação Saudável temos buscado variadas formas de demonstrar a importância dos alimentos saudáveis para a saúde do corpo como também o que devemos evitar e o porquê desses alimentos fazerem mal a nossa saúde. Esse trabalho tem trazido bons resultados, pois no início do ano a maioria só comia arroz e feijão. Agora estão aceitando experimentar legumes e verduras.

          O resgate de marchinhas foi o foco do Carnaval, as crianças ouviram algumas marchinhas e as ilustraram. Para finalizar, participaram de um baile de carnaval na escola.

          Em relação à cultura indígena, trabalhamos características de algumas etnias, seus costumes, moradias e alimentos. Tudo isso através de vídeos, contos, lendas e imagens. Tiveram a oportunidade de manusear o urucum (pintando com a tinta extraída de suas sementes), a mandioca (conhecendo sua planta) e o milho (degustando a pipoca além de manusear as espigas). As brincadeiras indígenas também fizeram parte desse aprendizado, o cabo de guerra foi uma das brincadeiras que tivemos a oportunidade de vivenciar e as crianças gostaram muito. Depois de terem contato com alguns vídeos sobre as brincadeiras indígenas, confeccionamos a peteca, que as crianças brincaram e depois levaram para casa.        

          Puderam também vivenciar a brincadeira do labirinto (a cama de gato) no campo dirigido assim como manusear alguns instrumentos, como o pau de chuva e o chocalho. No dia da família na escola os pais e responsáveis também tiveram a oportunidade de vivenciar com seus filhos vivências ligadas à Cultura Indígena como uma culinária, brincadeiras, produção de peteca, jogos e danças dessa cultura.     

          Na época junina trabalhamos a importância dessa festa cultural em nossa sociedade, vivenciando as brincadeiras (canaleta, argola, tomba lata, boca e corpo do palhaço), os ritmos, as danças (forró, baião, xote, coco e xaxado) e as músicas. Todas  as crianças tiveram a oportunidade de  criar coreografias individuais e em grupo. Também apreciaram obras de arte relacionadas ao tema.       

        No mês de junho, tivemos também uma aula diferenciada, a aula-passeio, que foi no Teatro Alfa, assistimos “Lodophonia” o novo show do Grupo Furunfunfum com um repertório que vai da poesia brasileira musicada até clássicos do Beatles, Secos & Molhados e Simon & Garfunkel, com foco no público infantil. As crianças gostaram bastante.

 

Comentários (1) e Compartilhar

1º SEMESTRE - ALGUMAS VIVÊNCIAS

Publicado em 29/06/2018 às 08h17

CORRE COTIA

 ENGENHEIRO

LOUSA MÁGICA

 FAZ DE CONTA : potinhos e areia...

 ESQUEMA CORPORAL

MISTURA DAS CORES

Comentários (0) e Compartilhar

ÉPOCA JUNINA

Publicado em 27/06/2018 às 07h51

Sabe-se que a ÉPOCA JUNINA oferece um amplo espaço para a troca de informações e experiências, pois é um tema do interesse das crianças que ressalta os aspectos popular, social e religioso de nossa cultura. 

Com o intuito de despertar o gosto pelas festas juninas e conhecer suas características aconteceram vivências que incentivaram o respeito e admiração pela nossa cultura popular.

 E as vivências foram: confeccionar e ornamentar a sala com bandeirinhas e balões; explorar gestos e ritmos corporais através das danças e músicas; alertar sobre o perigo que podem causar as fogueiras, balões e fogos de artifícios; explorar as cores e formas geométricas; conhecer e cantar um repertório de músicas juninas; confecção de mural, pinturas, recorte e colagem; conhecer a culinária junina; participar de brincadeiras juninas: pescaria, canaleta, argola, boca e corpo do palhaço.

 A nossa FESTA JUNINA aconteceu com a participação das crianças e seus familiares, dançaram juntos e saborearam comidas típicas.

 

A  DANÇA NA FESTA JUNINA

DESENHO DE OBSERVAÇÃO : OS MONSTROS DE J. BORGES

  CULINÁRIA :  BISCOITINHO DE POVILHO DE MILHO

BRINCADEIRAS:

Comentários (0) e Compartilhar

CULTURA INDÍGENA (3ª parte)

Publicado em 19/06/2018 às 07h51

Pintura corporal é uma das formas de pintura arte indígena onde os corpos são pintados com tinturas extraídas de planta. A pintura corporal é uma forma de expressão. Muitos usam como forma de demonstrar seus sentimentos por algo ou alguém.As pinturas corporais são as marcas de muitas etnias indígenas. Elas diferenciam clãs e famílias,tem tanto sentido para os indígenas, que expressa o que o indivíduo representa no grupo e até o estado.

AS CRIANÇAS CONHECERAM ALGUNS DESSES SÍMBOLOS E PUDERAM VIVENCIAR ESSES MOMENTOS... 

COLETIVAMENTE :

 INDIVIDUALMENTE : 

Comentários (0) e Compartilhar

CULTURA INDÍGENA (2ª parte)

Publicado em 13/05/2018 às 13h11

O carrinho de mão

A peteca

 

Cama de Gato ou labirinto.... muito movimento e diversão 

Comentários (0) e Compartilhar

Vivências do 1º bimestre- 6D

Publicado em 02/05/2018 às 10h26

           A Turma 6D é composta por 34 crianças frequentes. Todas gostam do ambiente escolar, principalmente do parque, onde desenvolvem relações afetivas de amizade e vivenciam experiências significativas para suas idades.

          O período de adaptação da turma não apresentou muita dificuldade, visto que algumas crianças já se conheciam por terem estudado o ano de 2017 na mesma sala. Os espaços da escola e seus projetos (alimentação saudável e leitura em casa ) já não são novidade, o que facilitou a adaptação das novas rotinas.

          Nas primeiras semanas realizamos um trabalho muito importante para o  aprendizado das crianças referente à escovação dos dentes e cuidados pessoais, tais como, lavar as mãos antes das refeições, lavar e limpar o rosto, usar o banheiro e se limpar, trocar as roupas quando sujar, entre outros cuidados. Trabalhamos com vídeos, rodas de conversas e demonstrações, para que desenvolvam esses hábitos, se apropriem e o façam com prazer.

          Outra atividade desenvolvida nesse início foi construir juntos os combinados para incentivar o convívio e promover a autonomia gradativamente, o que aconteceu, assistindo vídeos educativos, fazendo várias rodas de conversas e através de jogos cooperativos.

          Em linguagem corporal trabalhamos o esquema corporal, com o intuito de conhecer, nomear e identificar as partes do corpo sem perder a noção de unidade.

          Em sala de aula, para as atividades de registro sempre estão em grupos de 4 ou 6  e  o tempo de concentração  é curto. Na hora da leitura poucos tem paciência em escutar, e se dispersam com facilidade. Diante disso, temos planejado formas diferentes de contar histórias como contação de histórias com fantoches, livros de escolha das próprias crianças, histórias em áudio, histórias cantadas.

Durante as rodas de conversa todos querem dar suas opiniões, estão aprendendo a ouvir os colegas e esperar sua vez de falar. Eles têm demonstrado bastante interesse pelas letras, já assinam suas produções , muitos já escrevem o primeiro nome sem o auxilio do crachá.

          O resgate de marchinhas foi o foco do Carnaval, as crianças ouviram algumas marchinhas e as ilustraram. Para finalizar, participaram de um baile de carnaval na escola.

          Em relação à cultura indígena, estamos trabalhando as características de algumas etnias, seus costumes, moradias e alimentos. Tudo isso através de vídeos, contos, lendas e ilustrações. Tiveram a oportunidade de manusear o urucum (pintando com a tinta extraída de suas sementes),a mandioca (conhecendo sua planta) e o milho (degustando a pipoca além de manusear as espigas). As brincadeiras indígenas também fizeram parte desse aprendizado, o cabo de guerra foi uma das brincadeiras que já tivemos a oportunidade de vivenciar. A  cama de gato, pé de lata e a  peteca estão  dentro do projeto e serão vivenciadas  no decorrer do semestre.

Agradecemos a colaboração de vocês nesse primeiro bimestre o respeito, a confiança e o carinho durante o nosso contato.

         Obrigada pela  parceria nesse primeiro bimestre!         

 

Comentários (0) e Compartilhar

CULTURA INDÍGENA (1ª parte)

Publicado em 01/05/2018 às 09h35

 APRECIAÇÃO DO URUCUM

O desenvolvimento das crianças na Educação Infantil depende das oportunidades de aprendizagem oferecidas pelo mundo que as cerca. Oferecer diferentes materiais as crianças é uma maneira de ampliar a capacidade de expressão delas e contemplar as inúmeras possibilidades que se apresentam diante das atividades que envolvem os sentidos.

Sendo assim, a  vivência com o URUCUM ,  possibilitou uma nova  experiência.

EXPERIÊNCIA COM AS SEMENTES DO URUCUM:

As crianças manusearam as sementes do URUCUM e usaram para desenhar e pintar em seus cadernos ...

DEFINIÇÃO : Urucu (do tupi transliterado uru-ku = “vermelho“), ou urucum, é o fruto do urucuzeiro (Bixa orellana), arvoreta da família das bixáceas, nativa na América tropical, que chega a atingir altura de até seis metros. Apresenta grandes folhas de cor verde-claro e flores rosadas com muitos estames. Seus frutos são cápsulas armadas por espinhos maleáveis, que se tornam vermelhas (motivo do nome urucu) quando ficam maduras. Então se abrem e revelam pequenas sementes dispostas em série, de trinta a cinquenta por fruto, envoltas em arilo também vermelho.

Fonte: Wikipédia

 

Comentários (0) e Compartilhar

A ESCRITA DO NOME

Publicado em 01/05/2018 às 08h22

Segundo Emília Ferreira o nome próprio pode ser considerado apenas como uma palavra a mais, mas também singular muito diferente das outras palavras, por ser carregada de uma carga emocional.

O próprio nome é parte da pessoa, sua identidade. Na escola é sempre muito importante propiciar vivências que possibilitem as crianças o conhecimento de si mesmo, levando-os a descobri-los, sentir que possuem um nome, uma identidade e que fazem parte de um conjunto de pessoas em casa, na escola, na comunidade e que acima de tudo são muito importante.

PRIMEIRA LETRA DO NOME COM MASSA DE MODELAR

PRIMEIRA LETRA DO NOME NO AZULEJO

O NOME COM LETRAS MÓVEIS 

  

Comentários (0) e Compartilhar

CIRCUÍTOS E MUITA DIVERSÃO

Publicado em 25/04/2018 às 20h22

Toda  criança tem como direito se movimentar, experimentar e viver novos movimentos, pois é assim que ela começa a obter um maior conhecimento, das suas possibilidades corporais, sociais, e intelectuais, durante a infância que o movimento é a essência da criança, ou seja, ela aprende pelo movimento.

É através dele que a criança realiza as aquisições de outras habilidades importantes, dando ao mesmo tempo uma base para o desenvolvimento em outras áreas: cognitiva, social-afetivo e principalmente motor.

E é assim que as crianças aqui na escola aprendem brincando!!!

Comentários (1) e Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left show fwR tsN|bds b05|||news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||